"Não se conhece o homem por sua animação, mais pela quantidade de sofrimento verdadeiro que ele é capaz de suportar!..." (Charles Thomas Studd)

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A benignidade de um marido cristão.

http://sheimonphn.blogspot.com



Por Pastor Ismael. Após ouvir tantas queixas de mulheres cristãs, bem como, depois de refletir sobre a forma como os maridos tratam suas esposas, dentre os quais me incluo, resolvi compartilhar alguns pensamentos meus à respeito, mas principalmente o que Deus pensa disso tudo. Se por um lado, os homens reclamam da pouca importância que algumas esposas dão ao sexo, quem sabe por culpa dos próprios maridos, vez que 30% das mulheres não experimentam o clímax sexual que é o orgasmo, elas por sua vez elas reclamam da maneira como os maridos se comunicam na vida a dois. É interessante como sem mesmo conhecer as pessoas, a gente logo percebe quando um homem atende um celular e fala com uma mulher que não é a sua esposa, essa conversa é eivada de bondade nas palavras, gentilezas, tolerância e algo mais. E não estou aqui falando de relacionamento extraconjugal. Não, não se trata disso, mas sim, de destacar a maneira gentil como os homens falam com mulheres que não são suas esposas. Quando é a esposa que liga, ele a atende de uma maneira pouco gentil, senão, grosseira mesmo, e vai logo dizendo: “ O que é, o que é que você quer? ”.E se ela se demora um pouco nas suas explanações, ele diz :“Você não tá vendo que estou trabalhando, estou ocupado por aqui, sabia?” Mas considerando que boa parte dos leitores deste blog são cristãos, e quando não, ainda assim, são leitores que estão procurando de alguma forma melhorar o relacionamento conjugal, então, quero me voltar a Palavra de Deus , onde se encontra um tesouro para a vida a dois, princípios e segredos para o sucesso relacional. Em Colossenses, capítulo 3 versículo 18-21, vemos uma regra de conduta familiar, onde Paulo escrevendo diz: “ Vocês esposas, submetam-se aos seus maridos, porque isso foi o que Deus planejou para vocês. E vocês, maridos, devem ser amorosos e bondosos com suas esposas, e não tratá-las com amargura, nem aspereza. Vocês, filhos, devem sempre obedecer a seus pais e as suas mães, pois isso agrada ao Senhor. Pais , não repreendam tanto seus filhos, a ponto de eles ficarem desanimados e desistirem de esforçar-se”. Observe que ele trata com todos da família, onde cada um tem um dever e um direito a ser observado. Quanto ao marido, tem o direito da submissão da esposa, em contrapartida tem o dever de não tratá-la com amargura, ira ou aspereza, ou seja, tem que tratá-la bem, melhor do que trata a estranha. Deus é sempre para nós um padrão em tudo na nossa vida, é o nosso grande referencial, e quanto a um relacionamento conjugal, com sua mulher Israel, Ele disse assim: “Desposar-te-ei comigo para sempre; desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias, desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás ao SENHOR.”( Oséas 2:19) Veja que Ele se compromete com ela (Israel) prometendo que seria seu marido para sempre, seu único e exclusivo marido. Diz também que tipo de tratamento lhe dispensaria, seria justo ( reto) , e usaria de bondade para com ela, e quando ela não merecesse em virtude de falhas ou imperfeições, Ele a trataria com compaixão, e mais ainda, promete fidelidade e intimidade. Esse é o recado de Deus para nós maridos, que tanto temos agredido verbalmente nossas companheiras. Esse é o padrão do cristão. Sabe, quando uma mulher está triste, maltratada, um marido não tem o direito de exigir dela uma noite maravilhosa de amor, aliás, é quase um sacrilégio exigir sexo nessa condição, e temos que amadurecer, temos que nos aperfeiçoar nesse sentido. Sempre digo nas oportunidades que tenho: “quando uma mulher tranca a cara, ela tranca tudo.” Seja feliz, fazendo, antes, alguém feliz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário